sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Pelo paraíso que eu tinha

Pena, muita pena
que seu paraíso
era longe do meu.
Mas amizades são fortalezas de luz
Distante de sombra e breu
Fazendo juz
ao silêncio que nos perseguia.
Saudade, muita saudade
da valentia da nossa paisagem única
da nossa melodia embriagada
de verdade.
Agora
faça companhia ao nosso Senhor
e orgulha-se de ser
um dos herdeiros do meu amor.




Para você, Marmota.

Olhe por nós.

Um comentário:

Jim disse...

Rebizinha, rebizinha...
aki eh o jim pra variar agora falando do outro lado do mundo...
=P + uma vez digitando de um teclado sem acento e cecedilha...damn estrangeiros sahushasiha mas td bem
soh pra dizer q cheguei bem....e dizer q esse poema eh foda e com certeza o thiagao tah super orgulhoso de vc...
como eu sou :)
beijao fica com Deus mando noticias em breve